Páginas

domingo, 7 de setembro de 2014

O MORADOR DE RUA LEITOR

O MORADOR DE RUA LEITOR

Ao andar em uma avenida movimentada de São Paulo,fui supreendida por uma imagem que me fez pensar,de como arrumamos desculpas para deixar uma prática que tantos falamos tantos todos os dias,o habito da leitura.
Sempre passo nesse local por ser perto de minha residência,quando observei moradores de ruas,que ficam na calçada de uma lanchonete e perto do cruzamento da Av.Brigadeiro X Al.Santos,há sempre dois ou três rapazes que atualmente dormem naquele local.
E venho observando a algumas semanas que um deles sempre está lendo livros.Numa concentração impressionante e com um interesse,que a muito tempo não vejo em ninguém.
Fiquei com vergonha de mim mesma que ,às vezes,uso de mil e uma desculpas para sentar meia hora que seja por dia para a leitura,e ao mesmo me fez lembrar de uma Fátima que já existiu e se perdeu em alguma parte do caminho.
Quando mais jovem era uma devoradora de livros,e não tinha gênero preferido,ia desde de revistas,gibis,livros de romances ,aventuras,e os meus prediletos de poemas entre outros tantos,sempre arrumava sempre tempo para ler,e olha que eu tinha uma vida muito mais ativa que hoje.
Agora me pergunto,onde parou aquela devoradora de livros?
Aonde foi parar aquele interesse todo por novos conhecimentos?
Porque deixamos nos acomodar nas desculpas da vida moderna como falta de tempo,cansaço,ou será na verdade pura e simples preguiça mesmo.
Mas tenho que agradecer a esse morador de rua leitor,que me fez despertar,despertar aquela que um dia fui e já não era mais e que ressurgiu com a mesma  fome de antes.
Espero que essa história da vida real ti faça despertar o leitor como fez comigo.

Bom vou ficando por aqui,até uma próxima,bjim

FÁTIMA CRISTINA SANTOS